Aspectos que devem mudar na casa após a pandemia

Aspectos que devem mudar na casa após a pandemia

Muitos hábitos já mudaram após a pandemia no Brasil e pelo mundo, alguns costumes rotineiros nunca mais serão os mesmos.

Historicamente, momentos como este de crise, influenciam a arquitetura residencial. Na Idade Média, por exemplo, a peste bubônica transformou os ambientes, na época as casas quase não possuíam entrada da luz do sol, já que as ruas eram becos bem estreitos. Logo após a disseminação da doença, o espaço público mudou para que as residências pudessem receber melhor iluminação natural. 

 

Principais mudanças no nosso dia a dia e na nossa casa

Embora seja difícil encontrar um lado bom do surto do novo coronavírus, um aspecto positivo é que esse período de convulsão global pode mudar alguns dos nossos hábitos de saúde e de higiene. 

Aqui estão alguns hábitos cotidianos que possivelmente irão mudar após a crise:

– Haverá mais desinfetante para as mãos disponível em locais públicos

– Mais empresas permitirão que os funcionários trabalhem remotamente

– As pessoas levarão seu espaço pessoal mais a sério

– Lavaremos melhor as mãos

– Escolas e universidades estarão mais preparadas para o ensino a distância

 

Novo encontro com a natureza e a mente

Em tempos de incerteza, insegurança e medo, alguns problemas psicológicos tiveram destaque. Segundo um estudo da UERJ, e publicado no The Lancet, foi apontado que casos de ansiedade e estresse dobraram, enquanto os de depressão tiveram um aumento de 90%. 

Uma das mudanças que poderão ocorrer em casa após a pandemia é o autocuidado e a conexão com a natureza. A Urban Jungle, ou floresta urbana, nunca fez tanto sentido como agora. Cantinhos de meditação, pequenos altares e lugares onde se possa estabelecer uma conexão espiritual também estão cada vez mais requisitados.

 

Um brinde ao universo online

O trabalho e ensino a distância estão sendo colocados à prova nesse momento, com isso, cerca de 50 bilhões de aparelhos eletrônicos estão conectados na internet, entre smartphones, computadores e, até mesmo, geladeiras, são mais que seis vezes a população mundial. 

As pessoas buscarão soluções que tragam mais conforto e funcionalidade para as suas casas. A tecnologia tem sido usada para matar a saudade, unir quem está longe, e mais do que nunca, manter-se atualizado. São diversas ferramentas online e diversas possibilidades para manter a vida o mais perto do comum possível.

 

Consumo consciente

O momento exige reflexão e talvez seja uma oportunidade para as pessoas avaliarem seus comportamentos e suas vontades. Precisamos rever nossas atitudes, dentre elas, saber de quem compramos e para onde vão os resíduos que consumimos. 

Estamos com a percepção mais aguçada para escolher os produtos e serviços não somente por impulso, mas também com a consciência de que estamos ajudando alguém próximo de nós. 

Podemos dizer que esse processo de isolamento, nos levou a refletir sobre diversos aspectos da nossa vida, incluindo consumo, sustentabilidade e vida social. É de extrema certeza que, após esse período nebuloso, vamos nos abraçar, dar mais valor à família e aos amigos e reparar nos pequenos detalhes, como nunca antes. Por isso, a arquitetura e o design de interiores têm o papel fundamental de reformular a casa para se adaptar a essa nova realidade.

admin